Tudo o que você precisa saber sobre o Pixel do Facebook

Você sabe o que é o Pixel do Facebook?

Esse pequeno e poderoso mecanismo costuma se esconder em diversos sites da internet para observar o nosso comportamento online. E ele não está presente apenas nas lojas virtuais e nos sites de grandes marcas: o pixel (também conhecido como Facebook Pixel, seu nome em inglês) pode ser encontrado até mesmo nos sites de notícias e fóruns de conversa.

Se você ainda não sabia disso, agora já sabe – e, melhor ainda, pode usar essa informação a seu favor (quer dizer: a favor da sua loja).

No post de hoje, vamos falar um pouco mais sobre o que é Pixel do Facebook: como ele funciona, como ele pode ser configurado e de que forma ele pode auxiliar a sua loja a gerar mais vendas.

A primeira coisa que precisamos esclarecer é que a forma física do Pixel é composta por algumas linhas invisíveis de código; por isso mesmo, precisamos de um exemplo do mundo real para exemplificar o seu funcionamento.

Vejamos, então, o que acontece quando acessamos o site da Sobrebarba e incluímos, no nosso carrinho de compras, uma das ceras de bigode da loja:

Até aqui, nada fora do comum, não é mesmo?

Bom… Na verdade, para ver o que realmente está acontecendo, precisamos acessar as “Ferramentas de desenvolvedor” do Chrome. Lá dentro, existe um filtro “Facebook”, que exibe todos os URLs e cookies construídos a partir da interação do usuário com a marca.

É exatamente ali que o Pixel do Facebook está se escondendo.

O exemplo acima não mostra como usar o Pixel do Facebook e sequer começa a explicar para que serve o Pixel do Facebook; no entanto, é um exemplo concreto de que ele não só pode ser usado, mas que que também  pode ser implementado com sucesso na sua loja virtual, atuando como uma etapa importante do funil de vendas da marca.

Mas, antes de mostrarmos como instalar o Pixel do Facebook, vamos discutir:

  • O que é o Pixel do Facebook;
  • Para que ele serve;
  • Como funciona;
  • Como ele pode ser usado para otimizar as suas campanhas no Facebook Ads.

O que é Pixel do Facebook?

O Facebook Pixel é um código que pode ser incorporado a um site, e que tem como objetivo principal vincular o comportamento online do usuário ao perfil dessa pessoa no Facebook.

Esse tipo de sincronização de dados e comportamentos permite que a plataforma exiba apenas anúncios relevantes, uma vez que a escolha do que vai ou não ser anunciado é feita com base nas marcas e nos interesses pessoais de cada usuário.

Em outras palavras: para anunciar no Facebook e obter bons resultados, é crucial que você saiba usar o Pixel.

A descrição dada pelo próprio Facebook é a seguinte:

O Pixel do Facebook é uma ferramenta de análise de dados que observa o comportamento online dos usuários para, em seguida, avaliar a eficácia das campanhas de publicidade da marca.

É uma boa definição, ainda que incompleta: a última etapa do processo não é apenas “avaliar a eficácia de campanhas de publicidade”, mas sim segmentar os usuários em diferentes grupos para, então, começar a disparar anúncios específicos.

Dessa forma, o Pixel do Facebook acaba funcionando também como uma etapa anterior às campanhas de publicidade.

Vamos, então, retomar o que discutimos até agora. Nós já sabemos que o Pixel do Facebook:

  • É instalado dentro dos sites;
  • Monitora as ações dos usuários e visitantes;
  • Dá aos empreendedores e lojistas a possibilidade de anunciar em toda a plataforma do Facebook.

Como o Pixel do Facebook funciona?

Hora de partir para o lado mais técnico da coisa.

Não vai ser nada muito complicado: para tornar o processo mais divertido, criamos um passo a passo recheado de imagens.

Para mostrar o Pixel em funcionamento, vamos acessar duas lojas virtuais diferentes: a da Sobrebarba, que vimos lá no início, e a da Adidas.

Primeiro, vamos até o site da Sobrebarba para encontrar aquela cera de bigode:

Se abrirmos a cortina para ver o que está acontecendo por trás do carrinho, veremos que os códigos do Facebook estão rodando sem parar:

O Pixel do Facebook, além de acompanhar a atividade no site, também vai notar quando adicionarmos a cera e um outro produto ao carrinho de compras:

Como o Natal está chegando, vale a pena começar a pesquisar os preços dos presentes – por isso mesmo, vamos até o site da Adidas para dar uma olhada na coleção clássica da marca.

Tal como a Sobrebarba (e praticamente qualquer outro e-commerce de sucesso), a Adidas também tem alguns códigos do Facebook para monitorar a atividade dos visitantes:

Depois de dar uma olhada pelo site, finalmente incluímos o tênis acima no carrinho de compras:

Hora da mágica: como anunciar no Facebook

Agora que já discutimos o que é Pixel do Faceboook, está na hora de ver esse pequeno e invisível código em ação.

Vamos supor que, mesmo depois de ter passado um certo tempo visitando os dois sites acima e incluído os produtos nos carrinhos, você decide fechar as janelas e deixar os carrinhos por lá mesmo.

Está achando que carrinhos abandonados não são um problema para lojas e marcas conhecidas? Não é bem assim: os carrinhos abandonados são um pesadelo para todos os lojistas e empreendedores, não importa o tamanho da loja, o nicho escolhido ou os produtos vendidos.

Embora seja um problema logístico, os carrinhos abandonados também são um excelente recurso para estabelecer estratégias de marketing no Facebook.

Olha só o que acontece quando, apenas um dia depois de ter abandonado aqueles dois carrinhos, você entra no seu perfil do Facebook:

E olha o que aparece depois de alguns minutos de navegação:

Depois de algum tempo, a coisa começa a ficar menos sutil:

A julgar pela rapidez de publicação dos anúncios, é seguro afirmar que o Pixel da Sobrebarba e da Adidas está funcionando muito bem, garantindo boas estratégias de marketing no Facebook.

Pixel do Facebook: o loop

Não temos como saber quais regras de segmentação foram estabelecidas pela Adidas e pela Sobrebarba; será que teríamos recebido tantos anúncios se não tivéssemos incluído os produtos em nossos carrinhos? Será que os visitantes da Adidas de outros países teriam recebido tantos anúncios, ou esta é uma particularidade do mercado brasileiro?

Tudo certamente foi pensado com muito cuidado durante as etapas de criação e implementação das campanhas, mas esse tipo de informação – tal como as regras de segmentação, os grupos criados, o tempo de duração das campanhas e muito mais – é, claro, de natureza confidencial das duas marcas.

Mesmo assim, os exemplos acima podem nos ajudar a não só expandir a nossa explicação sobre o que é Pixel do Facebook, mas também a avaliar de que forma ele funciona:

  • Um visitante acessa uma loja virtual e olha alguns produtos – talvez até mesmo incluindo um ou outro no carrinho;
  • O Pixel do Facebook começa a funcionar silenciosamente lá no fundo, monitorando toda a atividade;
  • O Pixel em seguida sincroniza o registro com os cookies da plataforma, que também já estão armazenados no navegador do usuário, e sinaliza o potencial para segmentação;
  • Graças a esse processo, o Instagram e o Facebook começam a exibir anúncios pertinentes – e voilà: é assim que começa uma estratégia para anunciar no Facebook.

Como instalar o Pixel do Facebook?

O processo de instalação do Facebook Pixel é bem simples, na verdade. De acordo com a própria plataforma, tudo o que você precisa fazer é inserir o código do pixel direto no site; assim, sempre que alguém acessar a sua loja, o Pixel entra em ação e você começa a coletar os dados relevantes.

Se a sua loja está hospedada na Shopify, é ainda mais fácil: basta acessar o Gerenciador de Negócios do Facebook, copiar a ID do Pixel (a ID, não o código) e colar a informação na seção “configurações da loja” no seu painel da Shopify:

Faz sentido que a instalação do Facebook Pixel seja tão simples e prática como o processo que mostramos acima: afinal, a presença do pixel em um site incentiva o empreendedor (no caso, você) a anunciar no Facebook e também no Instagram. E é exatamente isso que o Facebook quer.

A plataforma também incentiva empreendedores e lojistas e usarem o Pixel do Facebook porque, em última instância, o recurso é também um mecanismo para construir perfis mais detalhados dos usuários que já utilizam a plataforma.

Em outras palavras: quanto maior for o número de sites externos com o Pixel instalado, maior o conhecimento que a plataforma terá sobre o comportamento de seus usuários pela internet.

A próxima etapa do nosso post é aprender como configurar o Pixel do Facebook. Vamos começar?

Como usar o Pixel do Facebook para segmentar visitantes?

É bom lembrar que o código do Pixel não é o responsável por segmentar os visitantes de uma loja; ele na verdade é apenas a base para tal processo. Você é o responsável por definir as características e os requisitos da segmentação.

Para fazer isso, a primeira etapa é acessar o Facebook para Empresas e buscar a opção “Criar um Público Semelhante”, que permite criar novos públicos com critérios que variam desde o muito básico até o extremamente detalhado.

Vamos supor que você tem uma loja especializada em produtos para o verão, como óculos de sol. O Pixel do Facebook vai saber quem são os usuários do Facebook que visitaram a sua loja e visualizaram os óculos de sol (e quando eles fizeram isso).

Com esses dados, você pode criar um Público Semelhante que visitou páginas marcadas como “óculos de sol” nos últimos 30 dias.

Outra opção é usar os anúncios do Facebook como uma forma de segmentar campanhas para usuários que já foram fidelizados.

Isso significa que você pode criar códigos de desconto promocionais para incentivar uma segunda (ou terceira, ou quarta) compra. Para fazer isso, basta configurar uma regra de URL em uma página de pós-conversão – como, por exemplo, uma página de Obrigado!

Também é possível criar um grupo oposto, que contém apenas usuários que visitaram o site mas não aquela página:

Marketing no Facebook: opções adicionais de segmentação

A grande vantagem dos Públicos Semelhantes é a possibilidade de potencializar o alcance da marca – e anunciar para usuários que talvez ainda não conheçam a sua loja, mas que certamente estão interessados em produtos como os seus.

Com o Pixel do Facebook instalado no seu site, o processo é ainda mais eficiente: uma vez que o Pixel monitora a atividade dos visitantes da loja e transmite esses dados para o Facebook, a plataforma pode usar essas informações para localizar usuários que apresentem traços semelhantes.

Isso significa que, se um dos seus públicos principais é composto por mulheres que tenham entre 25 e 35 anos e vivem em regiões urbanas, é possível criar um público semelhante composto por mulheres com essas mesmas características, mas que ainda não conhecem a sua marca – e anunciar diretamente para essas novas clientes em potencial.

Você também pode usar o pixel como ponto de partida para criar os chamados “eventos personalizados”, uma versão mais detalhada dos “eventos padrão”.

Os eventos padrão são compostos por ações que o Facebook Pixel monitora automaticamente, como “adicionar ao carrinho” ou “comprar”. Os eventos personalizados, no entanto, são aqueles projetados pelo próprio lojista com o objetivo de definir dados mais granulares e específicos.

É possível criar eventos personalizados diversos, como número de cliques, monitoramento de vídeo, frequência de rolagem e mais.

A verdade é que anunciar no Facebook vai ser apenas uma parte das estratégias de marketing da sua loja; no entanto, vai ser uma especialmente poderosa, pois conta com o insight incrivelmente valioso do Pixel.

Pixel do Facebook: apenas uma de muitas ferramentas publicitárias

O Facebook não é presença única nos códigos que compõem sites como os da Adidas e da Sobrebarba; é por isso que, não raro, nos deparamos com os mesmos anúncios em diversos outros sites – não só no Facebook.

Abaixo, por exemplo, está a página inicial da Folha de São Paulo dois dias depois de termos visitado as duas lojas:

Opa, como é que a Folha sabe que andamos visitando esses sites?

Bom, a verdade é que o jornal não sabe disso; quem sabe são ferramentas como o Criteo, especializadas em segmentação e retargeting. Isso não quer dizer que a Folha use o Criteo – mas sim que praticamente todos os sites da internet usam ao menos uma dessas ferramentas, pois é necessário preencher o espaço reservado para publicidade com anúncios que sejam relevantes para os visitantes.

Pixel do Facebook: algumas conclusões

Há, no entanto, algumas diferenças entre investir em estratégias de marketing no Facebook e contar apenas com anúncios de natureza mais genérica, exibidos em outros sites.

A primeira coisa que precisamos ter em mente é que o Facebook é absolutamente imenso: a plataforma tem mais de um bilhão de usuários ativos, e uma parcela deles certamente pode ser convertida em clientes em potencial.

O segundo fator que precisa ser considerado é o seguinte: por mais que plataforma não seja perfeita, ela pode ser especialmente relevante para empreendedores de primeira viagem ou então para pequenos lojistas.

A criação de anúncios também é relativamente simples, e estabelecer grupos segmentados não é nada muito complicado. Além disso, você ainda conta com o recurso do Pixel para captar mais clientes em potencial.

Agora que você já sabe o que é Pixel do Facebook e como ele funciona, está na hora de arregaçar as mangas e começar a trabalhar.

Boa sorte!

Ficou com alguma dúvida ou quer saber mais sobre o pixel de conversão do Facebook? Deixe um comentário aqui embaixo!

Quer saber mais?

Nós usamos cookies para melhorar o desempenho do site e criar uma experiência de navegação totalmente exclusiva. Se você aceitar navegar pelo nosso site, estará aceitando também a nossa política de privacidade.