Skip to content

O que é uma startup e do que você precisa para começar uma?

Artigo por Time Oberlo

Nas últimas décadas, o termo “startup” deixou de ser uma novidade do mundo dos negócios e se transformou na verdadeira essência do empreendedorismo moderno. Mas você sabe o que é startup, exatamente?

Conhece exemplos de marcas de sucesso que começaram como startups e hoje se tornaram empresas estabelecidas no mercado?

Ou está querendo descobrir como criar uma startup, mas ainda não encontrou uma resposta?

Tranquilo: este post tem todas as respostas que você estava buscando.

A vida é curta demais para deixar para amanhã. Que tal começar a trilhar seu próprio caminho em direção ao sucesso?

Criar conta

O que é startup?

A definição oficial de uma startup é: uma empresa “emergente” que alimenta uma filosofia empresarial inovadora e se destaca da concorrência por ser escalável e dinâmica.

Se ficou confuso para você, não se preocupe: a gente sabe que às vezes é difícil encaixar essas definições no mundo real. Por isso, a seção a seguir vai quebrar a definição oficial listada aqui em cima em trechos menores e menos complicados:

O que significa startup?

Uma startup é, antes de tudo, uma “empresa emergente” – e uma empresa emergente geralmente é uma empresa:

  • Jovem, pois foi fundada recentemente;
  • Sem muitos recursos financeiros – sem capital, sem grandes investimentos e sem um controle financeiro empresarial bem-estabelecido;
  • Com potencial para gerar muito lucro e bons resultados.

Agora que já definimos o que é startup, é hora de explorar a segunda parte da definição oficial: a filosofia inovadora que está por trás de uma startup e a relevância disso para o sucesso da empresa.

Quando o assunto é startup, essa filosofia – que vai ser essencial para desenvolver, lá na frente, as declarações de missão, visão e valores da marca – pode ser resumida a duas palavras: inovação e risco.

A startup precisa propor uma solução inovadora para um problema comum que ainda não tem uma solução satisfatória – ou então oferecer um novo produto ou serviço que ainda não existe no mercado, numa proposta arriscada e impensada.

Agora já dá para começar a ter uma imagem mais clara do que é startup: uma empresa fundada por uma, duas ou três pessoas, que ainda está na sua fase inicial de desenvolvimento e que tem como objetivo principal atender, de forma inovadora, uma demanda séria do mercado.

Como a empresa ainda está na sua fase inicial, ela não conta com recursos financeiros próprios, como já vimos; por isso, o dinheiro costuma vir de investidores externos, que acreditam no potencial do produto ou serviço que a startup está construindo.

A natureza escalável e dinâmica da startup está ligada aos elementos acima, já que ela tem potencial de sobra para:

  • expandir suas operações, contratando mais funcionários e virando uma empresa consolidada;
  • modificar o produto ou serviço de acordo com as demandas do mercado ou dos investidores, alterando assim a própria natureza da marca;
  • se unir a outra startup ou ser anexada a um conglomerado maior de marcas – deixando de ser uma startup, mas virando uma empresa reconhecida e confiável.

10 características de startups

10 características de startups

Além de buscar definições sobre o que é startup, vale a pena listar algumas das características que definem esse tipo de empresa.

Você vai perceber que algumas das 10 características listadas aqui já apareceram na definição que compartilhamos ali em cima; no entanto, vale a pena ficar de olho na lista, até para ver se as suas ideias para ganhar dinheiro podem virar startups lá na frente.

1. São empresas jovens e emergentes

Uma startup é, antes de tudo, uma empresa jovem, que ainda está começando a desenvolver sua identidade visual, seu branding e sua presença nas redes sociais.

2. São inovadoras

Como já mostramos, um dos traços mais marcantes das startups é o fato de que elas oferecem um produto ou serviço verdadeiramente inovador.

3. Solucionam problemas

O produto ou serviço de uma startup é considerado inovador por um único motivo: ele soluciona um problema real dos consumidores – e o faz de uma forma que ainda não havia sido testada no mercado.

4. Querem crescer e expandir

O objetivo de uma startup é, eventualmente, crescer o suficiente para deixar de ser uma startup.

5. Buscam um modelo sustentável de negócios

Como o investimento inicial de uma startup é externo, o plano de todas as empresas é eventualmente conseguir estruturar um modelo de negócios rentável e sustentável, que possa ser mantido a longo prazo.

6. São escaláveis (ou seja, podem ser redimensionadas)

A escalabilidade nada mais é do que a possibilidade de redimensionamento, crescimento e ampliação da equipe de funcionários e dos negócios realizados – algo essencial numa startup.

7. São dinâmicas

Outro elemento central para uma startup é o “dinamismo”: a vontade de continuar explorando e experimentando, eliminando os projetos que não deram certo e buscando, sempre, novas soluções.

8. Estão em busca de sucesso

Uma startup é sobretudo uma empresa que ainda não fez sucesso – mas que está no caminho certo para conseguir alcançar esse objetivo.

9. São pequenas

Tradicionalmente, uma startup é uma empresa jovem – com menos de dois anos – e pequena, com no máximo 10 funcionários.

10. São independentes

Por fim, uma startup é independente. Embora ela possa vir a fazer parte de um conglomerado lá na frente, enquanto ainda é uma startup ela é uma empresa que atua de maneira independente.

O que não é startup

Agora que já definimos o que é uma startup, é hora de definir também o que não é uma startup – até porque muita gente costuma confundir esse tipo de empresa com negócios de tecnologia que têm como objetivo ganhar dinheiro rápido.

Na verdade, não é bem assim.

Uma startup não tem como objetivo fazer dinheiro rápido

As histórias de sucesso de algumas empresas fazem com que muita gente acredite que basta descobrir como criar uma startup, montar uma iniciativa desse tipo e pronto: dinheiro rápido quase que num piscar de olhos.

No entanto, a coisa na prática não é bem assim. Embora uma startup seja sempre ambiciosa, às vezes alguns obstáculos acabam entrando no meio do caminho.

Um levantamento realizado em 2018 pelo SEBRAE, por exemplo, indicou que cerca de 30% das startups brasileiras fechavam as portas por conta da burocracia para legalizar a empresa e a dificuldade de entrar no mercado.

Além disso, a pandemia da covid-19, que começou em 2020, também acabou levando diversas startups a fecharem as portas – até mesmo aquelas bastante promissoras.

Uma startup não faz sucesso da noite para o dia

Outro mito bastante comum (e bastante mentiroso) é o das startups que fazem sucesso da noite para o dia.

Infelizmente, a realidade é bem diferente desse cenário tão glorioso, até porque muitas vezes as startups passam meses e até mesmo um ano inteiro avançando lentamente pela burocracia, pelos trâmites legais e pelo desenvolvimento de seus produtos e serviços.

É só depois de passarem por tudo isso que elas chegam ao mercado – e, mesmo assim, o sucesso nunca é garantido.

Uma startup nem sempre trabalha no setor de tecnologia

Muita gente associa a palavra “startup” à ideia de uma empresa super moderna de tecnologia, mas a coisa não é bem assim: embora existam muitas startups que são da área de tecnologia, um número considerável de empresas de outros setores também começaram como startups.

Uma startup nem sempre trabalha no setor de tecnologia

Não acredita? Dá só uma olhada nos exemplos a seguir.

Exemplos de startups brasileiras

As três marcas abaixo começaram como startups e, hoje, estão seguramente consolidadas no mercado brasileiro.

A melhor parte? Elas mostram perfeitamente tudo o que a gente discutiu até agora: são exemplos perfeitos do que é startup, do que não é uma startup e de como nem toda startup é, necessariamente, uma empresa de tecnologia.

Nubank

O Nubank é uma startup brasileira que virou unicórnio – ou seja, que atingiu (ou ultrapassou) o valor de mercado de US$ 1 bilhão.

Fundada em 2013 por três pessoas interessadas em inovação, o banco roxinho ganhou corpo após um dos fundadores, o colombiano David Vélez, ter uma experiência terrível com os bancos brasileiros.

Alguns muitos anos depois, muitas reformulações de nome e muitos investimentos do próprio bolso e um começo humilde numa casa lá em São Paulo, o Nubank hoje está avaliado em US$ 4 bilhões.

Quinto Andar

O Quinto Andar é outra startup que já se transformou em unicórnio.

Fundado em 2013 por dois estudantes brasileiros que voltaram dos Estados Unidos com dívidas imensas depois de fazerem seus MBAs por lá, o Quinto Andar revolucionou a forma como os brasileiros e brasileiras de mais de 25 cidades e 9 regiões metropolitanas do Brasil alugam apartamentos e casas.

Assim como o Nubank, que nasceu porque era necessário simplificar a burocracia dos bancos brasileiros, o Quinto Andar veio com a missão de descomplicar o processo de aluguel.

Sallve

A Sallve ainda não virou unicórnio, mas está quase.

Fundada em 2019 como uma alternativa mais humana, sensível e honesta aos gigantes do varejo de beleza e cosméticos, a marca investe pesado não em suas campanhas de publicidade, mas sim nos seus clientes – tanto que, antes mesmo de lançar seu primeiro produto, já contava com 200 mil consumidoras cadastradas.

Na página de bastidores da Sallve, a equipe por trás da marca conta um pouco sobre a jornada pelo mundo das startups, compartilhando os desafios e as inovações que a marca trouxe para o Brasil ao adotar um modelo de negócios ainda pouco utilizado por aqui.

Como criar uma startup

Os exemplos acima mostram que cada startup é diferente: cada setor e nicho tem suas particularidades, cada público-alvo tem suas próprias preferências e, talvez ainda mais importante, cada mercado vive suas próprias tendências.

No entanto, existem algumas condições básicas que podem ajudar o desenvolvimento de uma startup – então, se você está querendo saber como criar uma startup, dá uma olhada aqui embaixo:

Condições básicas de criação para uma startup

  • Um problema a ser resolvido ou uma demanda não-atendida no mercado;
  • Uma ideia inovadora para solucionar a situação acima;
  • Acesso a tecnologias que permitam concretizar o projeto e criar, efetivamente, o produto e/ou o serviço;
  • Investimento mínimo de capital para conseguir tirar a ideia do papel;
  • Elaboração de um plano de ação e de um plano de negócios;
  • Formação de uma equipe comprometida a trabalhar duro.

Lean startup: o que é

Outro modelo bem interessante para quem quer saber como criar uma startup é o método lean startup, que nada mais é do que uma estratégia de negócios que propõe uma otimização no processo de criar uma empresa e lançar novos produtos e serviços no mercado.

Dentro do método lean startup, o objetivo é criar e lançar startups que efetivamente sejam capazes de atender às demandas e necessidades dos clientes.

Para isso, eliminam-se as longas etapas de desenvolvimento e captação de investidores de alto calibre – até porque um dos erros mais frequentes das startups é investir muito tempo e dinheiro nas etapas de criação e implementação de um produto ou serviço que, no final das contas, não se ajusta às necessidades dos clientes.

Mas... Como é que isso funciona na prática?

Bom, o método lean startup trabalha com a ideia de Produto Mínimo Viável (MVP, na sigla em inglês). Ou seja: é necessário elaborar um produto ou serviço que tenha apenas as características e recursos que são absolutamente essenciais para o seu lançamento.

A ideia é lançar o produto ainda nessa fase inicial e recolher os feedbacks dos clientes – e, com base nesses feedbacks, otimizar e melhorar o produto ou serviço.

Esse modelo garante mais liberdade para a startup, que vai poder trabalhar no produto de acordo com as demandas do mercado ou até acabar por modificar totalmente aquela ideia inicial e seguir em outra direção.

E a melhor parte é que o investimento de tempo e de capital pode ser reduzido consideravelmente, mitigando os riscos.

Lean startup: o que é

O que é startup: conclusão

Esperamos que este post possa servir como um ponto de referência na hora que você decidir dar aquele passo que falta para criar a sua própria startup ou o seu próprio negócio online.

Se você estiver buscando mais conteúdos como este, fique de olho aqui no nosso blog – e não se esqueça de dar uma conferida no nosso canal do Telegram!

Quer saber mais sobre como inovar no e-commerce? Dá só uma olhada nessa live com a CEO da Pantys, uma marca que revolucionou o mercado brasileiro de calcinhas e cuidado íntimo:

Como criar uma startup: 10 passos

Para encerrar, não podíamos deixar de compartilhar uma lista com os 10 passos essenciais para quem quer saber como criar uma startup:

  1. Identifique a demanda de mercado que você deseja atender;
  2. Avalie de que forma você pode mudar esse cenário;
  3. Faça uma pesquisa de mercado para ver se já existe uma solução parecida;
  4. Defina o seu público-alvo;
  5. Liste os recursos dos quais vai precisar (equipe, capital, aplicativos etc.);
  6. Elabore um plano de ação concreto, com um calendário fixo e algumas metas iniciais;
  7. Estipule as diretrizes de funcionamento da startup;
  8. Construa a sua marca e comece o planejamento de marketing;
  9. Desenvolva o Produto Mínimo Viável;
  10. Valide sua ideia de negócio.

Quer saber mais?

Conteúdos relacionados