Os 10 melhores marketplaces para vender produtos e expandir sua marca

Você já pensou em vender seus produtos em um marketplace?

O conceito de marketplace é extremamente importante dentro do e-commerce e das vendas pela internet: com ele, é possível vender produtos da marca em outros espaços que não a sua própria loja virtual.

Isso não só aumenta o alcance e a exposição da loja, fazendo com que novos clientes em potencial descubram a oferta de produtos da marca, como também potencializa os seus lucros: uma receita bem interessante para o sucesso, não?

Hoje, então, vamos conversar sobre como vender em um marketplace: quais são os dez melhores marketplaces brasileiros, as particularidades e vantagens de cada um e como você pode utilizar esses espaços a seu favor.

Ainda não tem a sua própria loja virtual, mas está cogitando a possibilidade de vender na internet? Nós temos um guia completo sobre o tema – e diversos outros textos que podem te ajudar!

Primeiro passo: criar uma loja virtual

Antes de procurar o marketplace mais indicado para o seu nicho ou produto, é importante criar uma loja virtual.

Afinal, por mais que que numa parceria com um marketplace as estratégias de marketing e a captação de clientes em potencial fiquem totalmente por conta do seu parceiro, é importante que a sua marca tenha um espaço próprio.

Dessa forma, você terá a liberdade de cultivar a sua própria história e uma identidade visual totalmente exclusiva – e também terá um espaço no qual a marca ocupa a posição central, no lugar de ser apenas um nome menor dentro de um marketplace muito maior.

Além disso, vale lembrar que com uma loja virtual em mãos você pode criar as redes sociais da marca, estabelecer uma presença digital firme e, claro, adotar estratégias poderosas de remarketing e retargeting.

E, quando o assunto é vender na internet via loja virtual, não há plataforma melhor que a Shopify. Com milhares de lojistas cadastrados, a Shopify é um centro do e-commerce mundial – e pode ajudar você a construir uma loja virtual em poucos minutos.

Créditos da imagem: Shopify

Há, no entanto, um custo para tantos benefícios. Depois do período de avaliação gratuita de 14 dias, é obrigatório escolher entre um dos três planos de assinatura disponíveis:

  • Basic Shopify, que custa US$ 29/mês;
  • Shopify, que custa US$ 79/mês;
  • Advanced Shopify, que atinge a marca de US$ 299/mês.

Mesmo o plano mais básico conta com recursos e ferramentas relevantes para quem quer realizar vendas pela internet, como canais de atendimento ao cliente, criação de códigos de desconto, certificado SSL e recuperação de carrinhos abandonados.

Outra grande vantagem da Shopify é o elevado número de apps e ferramentas criados por desenvolvedores parceiros, que podem ajudar na criação e no gerenciamento de recursos importantes como a newsletter da marca e as campanhas de e-mail marketing.

Os 10 melhores marketplaces ou sites de vendas do Brasil

Para além de vender em uma loja virtual própria, no entanto, você pode optar por trabalhar em parceria com um marketplace – um canal de vendas já estabelecido, que conta com um bom tráfego e é popular entre ao menos um segmento do seu público-alvo.

O marketplace é, de forma bem resumida, um site para vender coisas. Se você possui algo que quer colocar à venda, pode cadastrar o item em questão na página de produtos da plataforma e pronto: é só esperar até a venda ser realizada.

Assim que o cliente realizar a compra, você receberá uma notificação do marketplace solicitando o envio do item para o cliente final – e, depois disso, receberá o pagamento pela transação.

É um cenário bem mais confortável do que aquele que vemos no gerenciamento de uma loja virtual própria, até porque você não precisa se preocupar em criar e administrar campanhas de marketing – e também pode abrir mão de ter que gerenciar outros aspectos importantes de um e-commerce, como o funil de vendas da loja e o Pixel do Facebook.

Há, no entanto, algumas desvantagens: a principal é que, tal como os programas de afiliados, os marketplaces costumam cobrar um percentual sobre as vendas realizadas na plataforma. No final do dia, depende de você pesar os prós e contras de cada modelo comercial – mas nós estamos aqui para tornar esse processo um pouquinho mais fácil.

Vejamos, então, os 10 melhores marketplaces do Brasil.

Mercado Livre

Créditos da imagem: Mercado Livre

O Mercado Livre é um velho conhecido dos brasileiros: presente como marketplace desde quase os primórdios da internet, a plataforma hoje ocupa a posição de maior site de vendas da América Latina, com mais de 10 milhões de vendedores dos mais diversos nichos e categorias de produto.

O marketplace também apresenta recursos próprios de pagamento e envio: o Mercado Pago e o Mercado Envios, respectivamente.

O Mercado Pago ajuda lojistas de todo o Brasil a receberem pagamentos feitos por cartões de bandeiras diferentes e boletos de bancos diversos – e, além disso, também permite a realização de serviços como recarga de celular e pagamento de contas com QR Code.

O Mercado Envios, por sua vez, permite calcular o frete imediatamente já nos anúncios dos produtos e permite a impressão de etiquetas com os endereços dos clientes, otimizando o processo e a jornada de compra do cliente.

Desde 2017, a plataforma trabalha também com o modelo comercial de fulfillment, no qual o Mercado Livre fica responsável pela gestão do estoque físico dos produtos em um CD (centro de distribuição), pelo processamento do item após a compra e pelo serviço de atendimento ao cliente final.

Sim, é um modelo parecido com o dropshipping – mas guarda as suas particularidades e vantagens próprias.

Em termos de publicidade e marketing, a plataforma conta também com o Mercado Livre Publicidade – um canal que realiza, em parceria com o Google, o envio e a publicação de anúncios em sites diversos.

Amazon

Créditos da imagem: Amazon Brasil

A Amazon é um marketplace gigante e um dos nomes mais tradicionais do varejo online, conhecida no mundo inteiro como um espaço onde é possível comprar de tudo por um preço pequeno. Além disso, a plataforma tem, sem sombra de dúvidas, os prazos de entrega mais competitivos do mercado.

Isso tudo significa que vender na internet – ou, mais especificamente, vender pela Amazon – pode ajudar a incutir nos seus clientes uma sensação de conforto e segurança. E, com o altíssimo de número de clientes que a Amazon gerencia todos os dias, as chances de que você consiga vender seus produtos com uma boa taxa de sucesso são bem altas.

Para vender produtos no site de vendas da Amazon, você vai precisar primeiro se cadastrar como vendedor. Atualmente, a plataforma conta com dois planos de assinatura:

  • Individual, para empreendedores que desejam vender menos de 10 itens por mês (a R$2,00 por item + comissão);
  • Profissional, para aqueles que querem vender mais que 10 itens por mês (a R$ 19,00 por item + comissão).

Para começar a vender, você só precisa ter em mãos seu CPF ou CNPJ, uma conta bancária vinculada a um desses dois documentos e um cartão de crédito Visa, Master, Dinners ou Elo.

OLX

Créditos da imagem: OLX

Desapega, desapega, OLX!

O marketplace que entrou na cabeça de milhares de brasileiros com um jingle divertido e simples também não podia ficar de fora da nossa lista.

À primeira vista um site para vender apenas coisas ou produtos que não têm mais utilidade na sua casa, a OLX gradualmente foi se transformando em um dos maiores sites de compra e vendas do e-commerce brasileiro.

Atualmente, a OLX é um espaço onde são negociados imóveis, carros e outros itens de altíssimo valor: uma plataforma poderosa e, portanto, vantajosa para marcas que estão buscando uma boa exposição.

Embora ainda tenha recursos exclusivos para pessoas que só querem vender uma bicicleta usada ou uma geladeira já meio velha, a plataforma conta também com Planos Profissionais para interessados em vender na internet.

Esses planos são específicos para o tipo de produto ou categoria de produtos com os quais você deseja trabalhar: imóveis, autopeças, itens diversos e por aí vai. Vale a pena conferir o site da marca e ver se as ofertas cabem no seu modelo de negócios.

Marketplace da Magazine Luiza

Créditos da imagemMarketplace da Magazine Luiza

A Magazine Luiza é conhecida por ser uma das maiores lojas de eletrodomésticos e eletrônicos do Brasil, e de uns tempos para cá tem dado uma verdadeira aula quando o tema é adaptabilidade a novas tecnologias.

Além de ser uma presença constante no Instagram e em outras redes sociais com a Lu do Magalu, a marca também expandiu o seu modelo de vendas e hoje funciona como um marketplace para lojistas de todo o Brasil.

Como mencionamos anteriormente, vender em marketplace tem as suas vantagens – e a Magazine Luiza oferece outros benefícios bem interessantes, como o Magalu Entregas, o Magalu Ads e a possibilidade de vender os seus produtos até mesmo nas lojas físicas da rede, criando uma experiência multicanal para a marca e para o público-alvo.

Enjoei

Créditos da imagem: Enjoei

O Enjoei é, sem sombra de dúvidas, o marketplace mais especial da nossa lista – não só pelas categorias de produtos com os quais trabalha, mas pela personalidade da marca, que mistura descontração, sarcasmo e ironia na medida certa.

Voltado sobretudo para o público jovem e jovem adulto, esse site de vendas começou como uma espécie de brechó online onde era possível vender aquelas roupas e acessórios que você não queria mais; hoje em dia, no entanto, é um site para vender coisas das mais diversas, como videogames, móveis, celulares, notebooks, joias, itens de marca e muito mais.

Para ser vendedor online no Enjoei, basta criar uma conta na plataforma e começar a montar a sua lojinha.

Marketplace da Netshoes

Créditos da imagem: Marketplace da Netshoes

Se a sua ideia de realizar vendas em marketplace está mais próxima de algo como vender artigos para a prática esportiva, como tapetes de yoga, garrafinhas de água reutilizáveis e outros itens desse nicho, que tal considerar o marketplace da Netshoes?

Tal como o marketplace da Magazine Luiza, o marketplace da Netshoes é um site para vender itens próprios, construído para lojistas e empreendedores que querem aproveitar a exposição e o espaço da marca Netshoes.

Com mais de 54 milhões de visitantes todo mês, a Netshoes é inegavelmente um dos gigantes do mercado de artigos esportivos – e, para tirar proveito desse espaço, você só precisa enviar alguns documentos e preencher informações relevantes para a plataforma.

Uma vez aprovado, você firma um cadastro com o marketplace e pode começar a vender imediatamente.

Marketplace do Facebook

Créditos da imagem: Facebook

Inaugurado em outubro de 2016, o marketplace do Facebook é mais do que um site para vender coisas: é uma integração exclusiva da plataforma, projetada para aproximar vendedores e pessoas interessadas em comprar produtos.

Antes apenas um recurso similar às primeiras versões da OLX e do Enjoei, feito apenas para pessoas que queriam se desfazer de itens já velhos, o marketplace do Facebook está firmando parcerias com a Shopify e outras plataformas de e-commerce para projetar novos recursos exclusivos para empreendedores.

Ainda que o Facebook não cobre nenhuma taxa ou comissão por venda, é importante que você siga as diretrizes e requisitos exigidos pela plataforma.

A seguir, vamos ver um outro site para vender produtos provenientes de um nicho mais específico, tal como o marketplace da Netshoes.

Marketplace da Dafiti

Créditos da imagem: Dafiti

A Dafiti conquistou um espaço de destaque dentro dos melhores sites de vendas da internet. Especializada na venda de roupas, calçados e acessórios, a marca vem expandindo progressivamente a sua presença no mercado – e uma das mais recentes inovações é o marketplace desse site de vendas.

Com mais de 10 milhões de visitantes todo mês e a possibilidade de poder anunciar produtos nos canais da loja, que vão desde redes sociais até newsletters, o marketplace da Dafiti é uma opção interessante para marcas e lojistas que estão tentando encontrar um espaço dentro do nicho de vestuário, tradicionalmente concorrido e extremamente movimentado.

Marketplace do Carrefour

Créditos da imagem: Marketplace do Carrefour

Por último, o marketplace do Carrefour: um dos maiores sites de vendas pela internet do Brasil.

Mais próximo do Mercado Livre, da OLX e da Amazon, o marketplace do Carrefour é ideal para lojistas que procuram um site para vender coisas e itens diversos: de eletrodomésticos, móveis, eletrônicos e itens de decoração até roupas de cama e produtos de limpeza, o Carrefour trabalha com uma ampla gama de itens – e você, lojista, pode tirar proveito disso.

Bônus: B2W Marketplace

Créditos da imagem: B2W Marketplace

Para encerrar a nossa lista com os melhores sites de vendas do Brasil, tínhamos que incluir o B2W Marketplace.

Lar das Americanas, do Submarino e da Shoptime – três gigantes das vendas pela internet – este marketplace é um espaço poderoso para lojistas que querem expandir rapidamente o número de vendas da marca e conquistar níveis mais altos de movimento na loja.

A plataforma não solicita nenhum tipo de investimento inicial para começar a vender, mas trabalha dentro do modelo de comissões.

Como vender em um marketplace: conclusão

Procurar um site para vender produtos e trabalhar em parceria com um marketplace são soluções interessantes para lojistas que querem:

  • Expandir o alcance de suas marcas;
  • Trabalhar com uma plataforma que possui altos níveis de tráfego orgânico e fica responsável por todas as estratégias de marketing e publicidade;
  • Experimentar outros modelos de negócios que não o do varejo tradicional.

Esperamos que esta lista com os melhores sites de vendas do Brasil possa ajudar você a decidir qual é o melhor caminho para a sua loja.

Boa sorte!

Quer saber mais?

Nós usamos cookies para proporcionar uma experiência de navegação otimizada. Pedimos que clique no botão Aceitar para que possamos continuar a personalizar os conteúdos exibidos. Para mais informações, consulte a nossa Política de Privacidade.

Recusar